sábado, 28 de novembro de 2015

CARTA PARA ALGUÉM QUE IRÁ CRESCER


Sei que com pouca idade, ler essa mensagem não é a coisa mais interessante a fazer. Mas assim como em um filme, onde alguém viaja no tempo e volta ao passado para lhe contar sobre o futuro, tente me entender. 
Nós devemos ouvir nossas mães quando nos dizem para não fazer tal coisa, ou quando nos dizem " eu te avisei". Mas não porque elas sabem de tudo. Elas apenas ouviram de suas mães que ouviram de suas avós as mesmas palavras cada uma delas. Errar é a melhor maneira de aprender, porém nem todos aprendem. Aprender é para poucos, para pessoas que abrem suas mentes e se permitem entender a complexidade do orgulho e da aceitação. Mas retornando ao meu pensamento anterior, sua mãe quer que você não cometa os mesmos erros, ela não quer te xingar do mesmo modo que um dia foi xingada, e por isso ela repete essas palavras, com a esperança que você aprenda.
Por mais nojenta que uma comida seja durante sua infância, e que algumas você irá detestar durante toda sua vida. Você aprenderá com o tempo que nem tudo é como a gente gosta, e sim em como a gente necessita daquilo, e você irá comer mesmo que o gosto não lhe agrade.
Que as amizades verdadeiras se constroem com a inocência e sinceridade de uma criança. Não se esqueça disso ao tornar-se adulto. Se um dia algum amigo lhe chamar de "criança" ou dizer-lhe que é "infantil", não se magoe, na verdade é ele que amadureceu demais.
Você vivenciará dias maravilhosos de sol, ótimos para tomar banho de mangueira, não desperdice esses dias.  
Aproveite a escola como se não houvesse amanhã.
Um dia você irá pensar em como foi gostosa aquela dor de cair de bicicleta, que você berrou chorando enquanto passava mertiolate e você irá perceber que aquela dor nunca doeu tanto, quanto as coisas que você sentirá calado.
Que nenhum castigo é mais penoso que uma memória nostálgica de infância, onde você sente gostos e aromas ou aquela fisgada de saudade que bate forte no peito. Mas que não passam de memórias que não vão voltar. Já o castigo, acaba.
O tempo que você sempre quis que passasse rápido, para tornar-se um adulto, irá realizar o seu desejo, e um dia você reclamará por ser adulto.
Você que nesse exato momento está me lendo, espero que tenha lido com atenção todas as minhas palavras, pois mesmo você sendo tão novo por fora, precisa aprender que não são apenas suas pernas que irão crescer, mas o seu modo de ver a vida. E precisa compreender que a sua realidade AGORA é a realidade que, todos nós adultos, gostaríamos de vivenciar todos os anos de nossas vidas. Porque a maior verdade de todas é que todo adulto quis ser o Peter Pan. 
E aos atuais adultos, que também estão a ler minhas palavras, imagino que tenham passado pelo “castigo penoso das memórias nostálgicas” nesse momento. E com isso aprendido a importância de sua inocência e a importância da infância. Nós adultos não podemos voltar atrás, mas podemos buscar em nosso dia-a-dia a alegria e a felicidade das coisas simples, como um dia de sol brilhoso, e não nos deixarmos levar cem por cento pelo lado maduro. Frutos maduros de mais caem do pé e morrem.

Com carinho,
Uma eterna criança interior.

domingo, 26 de julho de 2015

AOS OLHOS DO PAI DA NOIVA - PARTE 2


Os convidados chegavam sorridentes e cheios de brilhos nos olhos, como se estivessem presenciando um conto de fadas, As crianças corriam para lá e para cá vestidos de pequenos adultos. Minha esposa segurava as lágrimas enquanto comentava com a família como sua garotinha havia crescido tão rápido. Os raios de sol se despediam aos poucos, fazendo um pequeno trilho dourado no gramado. A primeira estrela da noite já estava quase brilhando forte e todos se aconchegavam nas cadeiras a espera da noiva.
Entrei dentro do quiosque para buscar minha filha. Lá estava ela toda de branco, vestida como um anjo. E meus olhos se encheram de lágrimas. Ela me perguntou se estava bonita, e eu sorri para ela dizendo que não existe ninguém mais linda que ela.

quarta-feira, 8 de julho de 2015

PLAYLIST - PARA DIAS CHUVOSOS



São poucas as vezes que eu consigo escrever sem estar ouvindo alguma musica baixinho para me dar inspiração. É como se a musica me dissesse o que eu escrever naquele momento. E aproveitando essa semana que iniciou fechada e fria aqui no Sul, eu resolvi montar uma playlist com as musicas que gosto de ouvir enquanto a chuva cai lá fora. Espero que gostem da seleção que fiz, e assim como eu, inspirem-se a fazer novas coisas ou mesmo praticar seus hobbies favoritos.

segunda-feira, 27 de abril de 2015

AOS OLHOS DO PAI DA NOIVA


Era um dia especial, eu não podia negar. O sol chegou cedo e se manteve alto e quente durante a manhã. O dia perfeito para um casamento. Todos correndo para cá e para lá, sorrisos ansiosos, rostos sérios e preocupados com a organização do dia perfeito para minha filha.
Para mim era tudo fácil, eu só precisaria buscar o bolo, usar o terno que minha esposa supôs ser o melhor terno de todos para o pai da noiva e... dar minha filha em casamento. Dar a mão de minha princesinha para um cara que eu mal conheço foi um desafio e tanto. Lembro-me do modo como suava frio durante o dia todo, eu estava nervoso.
Enquanto Sofia acertava a conta do bolo, eu a esperava no carro. Observava de longe aquela garota alta e miúda, que se tornara mulher tão rápido e aos meus olhos ainda era a menininha do pai. Que hoje não usa penas o batom da mãe, mas tudo que se possa usar. E poxa como ela esta linda!
O tempo passou tão rápido que eu não me dei conta de quando ela largou as bonecas pelos rapazes. Mas lembro de como tentei ser duro e confesso, chato ao dizer-lhe "não" para suas baladinhas juvenis. Sempre queremos o que é melhor para nossos tesouros e achamos que o melhor é ser duro por mais doloroso que seja dizer "não" a um filho.
Sofia passou o dia sorrindo, ansiosa pelo seu momento do "eu aceito" e do beijo. Mesmo com seus vinte dois anos, acreditava em finais felizes, em felicidade conjugal sem brigas, como se o amor fosse forte o bastante para superar qualquer obstáculo. Ainda era uma menina inocente.
Nas lembranças que guardo, sempre duvidei do noivo. Ele era um cara bacana, ele a amava e tinha um bom emprego. Mas ele estava levando embora o meu motivo de viver, e qualquer pai que se preze duvida de um homem que quer levar sua filha embora de casa.  A vida segue, e minha Sofia estava dando rumo a sua futura família. Enquanto isso, eu digeria a ideia.
Deixei minha filha no salão com minha esposa e fui buscar o terno. Encontrei o noivo, Marcelo, ansioso, sorridente, com os mesmos sonhos e expectativas que minha filha e por um leve e, brevíssimo momento, não o vi como "o homem que levaria embora minha princesa". Ele cumprimentou-me com um abraço e eu lhe devolvi com um tapinha nas costas. Os pais devem manter as aparências de durão mesmo que o cara a ser marido de sua filha seja bacana e sua mulher ache que é uma bobagem ser tão machão. Mas seja. Depois de buscar o terno, convidei Marcelo para tomar um chopp antes da cerimônia, e disse que não havia problemas o noivo acalmar os nervos antes do grande "sim". Levei ele a um boteco antigo da cidade, aquele do qual eu tomei muitos porres, daquele do qual se vê um jogo de futebol com os amigos e xinga alto, ou mesmo o que devemos levar o noivo da filha para dar um aviso prévio do que espera eles se pisarem na bola. Mas mesmo com essa brabeza toda, eu só disse para fazê-la feliz, pois ela o ama e eu espero que ele seja merecedor desse amor todo. E compartilhei o como ela é adorável, mesmo que ele já soubesse disso. Tomamos mais um chopp e fomos para a cerimônia.

CONTINUA...

sexta-feira, 24 de abril de 2015

NOVA CATEGORIA DO BLOG: MUSICA


É com muito carinho que resolvi criar esta nova categoria, com o objetivo que compartilhar alegria e emoções, uma vez que a musica transmite o que a de melhor em nós. 
Confesso que meus gostos musicais são bem ecléticos e eu pulo de décadas em décadas de estilos musicais. 
Espero que gostem das seleções musicais, não apenas para conhecer coisas novas, mas para compartilhar gostos semelhantes também. 

Hoje irei compartilhar com vocês a minha paixão pela gaita de boca, um dos instrumentos que mais gosto de ouvir. Conheci a harmônica, nome de origem do instrumento, através de um dos meus cantores favoritos da musica Folk, Bob Dylan. E desde então comecei a explorar a melodia em diversos estilos musicais.